Please disable Ad Blocker before you can visit the website !!!

8 dicas imprescindíveis sobre como planejar o intercâmbio

by TrabalharFora   ·  1 ano ago   ·  
thumbnail

Guia sobre intercâmbio: – 8 dicas imprescindíveis sobre como planejar o intercâmbio

 

Estudar fora do país é o sonho de muitos jovens. Porém, muitos ficam perdidos na hora de planejar o intercâmbio. Por isso, selecionamos algumas dicas para você acertar no planejamento do intercâmbio.

Introdução

Você pretende estudar fora do Brasil em 2018?

Se você respondeu sim, esperamos que já tenha começado a planejar o intercâmbio, pois a falta de organização desse tipo de viagem é a causa de uma série de imprevistos enfrentados pelos intercambistas.

Fazer um intercâmbio para aperfeiçoar o conhecimento de uma língua estrangeira ou enriquecer o conhecimento é o sonho de jovens. Contudo, muitos deixam para fazer planejamento da viagem na última hora. Assim, ocorrem diversos problemas como a escolha de um lugar que não agrada totalmente ao intercambista, dificuldades para conseguir o visto, cálculo errado dos recursos financeiros que serão usados no intercâmbio, etc.

Para que não aconteça nada do que foi mencionado anteriormente, na continuação do nosso Guia sobre intercâmbio, selecionamos 8 imprescindíveis dicas para você planejar o seu intercâmbio. Após ler esse texto, você saberá o que será preciso para organizar a sua viagem para o exterior sem nenhuma dor de cabeça.

Nesse texto apresentamos os seguintes tópicos:

  • Estabeleça os objetivos do intercâmbio;
  • Providencie os documentos com antecedência;
  • Estabeleça o tempo do intercâmbio;
  • Escolha o local do intercâmbio;
  • Leve em conta o seu nível de conhecimento do idioma;
  • Calcule o custo do intercâmbio;
  • Defina o local de hospedagem;
  • Informe-se sobre o sistema de saúde do país escolhido.

 

1. Estabeleça o objetivo do intercâmbio

 

Antes de pensar em qualquer outra coisa, deve-se fazer a si mesmo a seguinte pergunta: “Quais são os objetivos do meu intercâmbio?”

Atualmente, existem diversas opções para quem deseja estudar fora do Brasil: curso de idiomas, pós-graduação, cursos de capacitação profissional e cursos de um semestre em universidades estrangeiras. Para quem tem menos de 18 anos, existem programas de High School, que equivale ao Ensino Médio aqui no Brasil.

Se o seu objetivo é estudar e trabalhar durante o intercâmbio, existem programas que permitem que o estudante exerça uma atividade remunerada ou voluntária. Antes de definir o propósito do seu intercâmbio, converse com um especialista no assunto ou com pessoas que estudaram fora do país.

 

2. Providencie os documentos com antecedência

 

Este é um dos pontos mais importantes na hora de planejar o intercâmbio. Apesar do ano letivo começar em setembro no hemisfério norte, deve-se providenciar o seu passaporte o quanto antes. Caso já tenha esse documento, confira o prazo de validade do seu passaporte para que o mesmo não expire durante a sua viagem.

Para solicitar o passaporte pela primeira vez, ou então renová-lo, deve-se agendar atendimento um algum posto da Polícia Federal, órgão responsável pela emissão do referido documento. No site dessa instituição, você ainda encontrará os documentos necessários para emitir o passaporte. A taxa para emissão do passaporte é R$ 257,25.

Além dos cuidados com o passaporte, você deve verificar se país escolhido para fazer o a sua viagem exige visto para o período que você pretende no território do mesmo. Para isso, consulte o site do consulado do país que você viajará, ou então peça ajuda da universidade que você estuda, ou da agência de intercâmbio, a fim de saber de tais informações.

 

3. Estabeleça o tempo do intercâmbio

 

Uma vez que você já cuidou da documentação, chegou o momento de definir quanto tempo pretende estudar fora do Brasil. Na hora de estabelecer o período em questão, leve em conta as suas atividades acadêmicas e laborais. Atualmente, existem programas de intercâmbio mais longos (6 meses ou mais) e de curta duração (2 semanas)

Se você trabalha, aconselhamos que seja feita uma escolha de intercâmbio de curta duração. Desse modo, você poderá se dedicar ao mesmo durante as férias. Contudo, nessa modalidade de intercâmbio, é recomendável que o intercâmbista tenha um bom conhecimento de inglês, ou do idioma em que será ministrado o curso. Assim, a sua adaptação e o aprendizado serão mais rápidos.

 

4. Escolha o local do intercâmbio

 

Este outro ponto bastante importante no planejamento do intercâmbio. Antes de listar os países que você deseja fazer a sua viagem, leve em consideração se deseja estudar em lugares com o clima semelhante ao do Brasil, ou totalmente o contrário disso. Essa é uma questão essencial, ainda mais se intercâmbista pretende passar mais de seis meses estudando fora do Brasil.

Para que o intercâmbista tenha clareza a respeito da sua escolha, faça uma pesquisa a sobre os países que pretende fazer a sua viagem. Outra opção é conversar com pessoas que estudaram nos lugares em questão, a fim de saber como funcionam as instituições de ensino e quais são as particularidades culturais do país.

Você também pode ler o último post do nosso blog, no qual falamos sobre o que deve ser levado em consideração na hora de escolher o local do intercâmbio. Temos certeza que a leitura desse texto ajudará a planejar o intercâmbio com mais segurança.

 

5. Leve em conta o seu nível de conhecimento do idioma

 

Você tem um conhecimento intermediário de inglês ou do idioma do país em que fará o intercâmbio?

Se você respondeu sim, está no caminho certo. De acordo com especialistas em intercâmbio, é recomendável que o estudante tenha um conhecimento intermediário do idioma do país onde ele quer estudar. Se o intercâmbista não fala a língua oficial do lugar, o ideal é que o intercâmbista tenha um nível intermediário de inglês.

Uma vez que o intercâmbista tem um bom nível de inglês, pode aproveitar bem a sua viagem em países que não são anglofalantes. Porém, não se acomode e procure apreender a língua oficial do país, pois facilitará a sua adaptação ao país onde você fará a sua viagem.

6. Calcule o custo do intercâmbio

 

Este é um aspecto muito importante do planejamento do intercâmbio, pois através dele você saberá o quanto gastará nos preparativos para a viagem e qual quantia de dinheiro precisará levar para se manter por um determinado tempo.

A primeira coisa que você deve fazer nessa fase da organização da viagem é pesquisar o preço das passagens para o local que você pretende ir. A partir dessa busca, estabeleça o valor que deseja gastar durante o intercâmbio.

Intercâmbios feitos através de contato direto com a instituição de ensino, ou convênios com a universidade, são mais baratos do que contratar os serviços de uma agência. Porém, contratempos com as passagens e os vistos terão que ser resolvido por você, caso a sua opção seja estudar fora por conta própria. Em contrapartida, se você escolher fazer o intercâmbio por uma agência, a instituição se encarregará de resolver todos os contratempos.

 

7. Defina o local que você se hospedará

 

A escolha da hospedagem durante a sua viagem é algo essencial, pois ela pode influenciar diretamente a sua adaptação ao país. As acomodações mais escolhidas por intercambistas são as casas de família, hostel ou alojamento estudantil, embora existam outros tipos de moradia para intercambistas.

Algumas pessoas, por exemplo, não recomendam casas de família como forma de hospedagem para intercambistas. Isso porque consideram que pode ser um choque cultural muito grande para quem está chegando em país novo.

A hospedagem durante a sua viagem é uma decisão pessoal. Por isso, antes de tomá-la, pesquise quais são as melhores opções de moradia para intercambistas, ou converse com alguém que já estudou fora do Brasil. Desse modo, o intercâmbista terá mais clareza na hora de tomar a melhor decisão na hora de escolher a hospedagem.

8. Informe-se sobre o sistema de saúde do país escolhido

 

Quando começamos a planejar o intercâmbio, muitos se preocupam com os documentos necessários para a viagem. Todavia, essa não deve ser a única preocupação de quem deseja estudar fora. A saúde também deve ser um motivo de inquietação do futuro intercambista.

Com a chegada em um país diferente, ocorre uma mudança na rotina do intercambista. Isso pode causar alterações no organismo, que pode causar problemas de saúde inesperados, que podem antecipar a sua volta ao Brasil.

Por isso, recomendamos que você se informe como funciona o sistema de saúde no país onde você fará o intercâmbio. Alguns países, como a Irlanda, exigem que o estudante faça um seguro de saúde para liberar o visto de entrada.

Não se esqueça de fazer um check-up antes de viajar. É melhor fazer uma avaliação com médicos que você conhece do que em um sistema de saúde com o qual você não está familiarizado e os falam outro idioma.

Assim, sabendo o que é necessário para planejar o intercâmbio, esperamos que cada vez menos pessoas enfrentem problemas para organizar a sua viagem é, dessa maneira, tenham menos problemas enquanto estudam fora do Brasil.

Você gostou deste texto sobre como planejar o seu intercâmbio? Então aproveite as visitas ao nosso blog e assine a nossa newsletter. Desse modo, você receberá as nossas atualizações na sua caixa de entrada!

Já sabe como irá enviar seu dinheiro para o exterior? Conheça a plataforma Transferwise, nós usamos e indicamos, além disso, conheça mais sobre a austrália.

Deixe uma resposta